Últimas Notícias

Sociedade Militar

Revista sociedade militar. Militares, direitos, política e geopolítica. Direita, esquerda e esclarecimento.
  • Na medida em que a sociedade expressa nas ruas sua rejeição ao PT e contra Dilma Roussef, mais políticos se sentem fortalecidos para uma oposição mais corajosa. Dois senadores falam em impeachment na mesma semana. BRASÍLIA  -  O senador Mário Couto (PSDB-PA) avisou nesta terça que apresentará pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff à Câmara dos Deputados. Segundo Couto Dilma não pode terminar o governo. Couto disse que não faz o pedido em nome do PSDB. "Apresento hoje, novamente, o pedido de impeachment da presidenta Dilma, pela segunda vez. Agora, com fundamentos que não podem ser rejeitados pelo Presidente da Câmara! E, se ele rejeitar, vou entrar no Supremo Tribunal Federal. Não o faço em nome do meu partido, faço em meu nome pessoal", "O doleiro [Alberto Yousseff] confessou que a Dilma tinha conhecimento da corrupção na Petrobras. O diretor [Paulo Roberto Costa] avisou a chefe da Casa Civil [então, Dilma Rousseff], conforme documentos publicados na revista Veja. Ele alertou a presidenta, ele alertou a chefe da Casa Civil, ele que foi para lá exatamente para coordenar a corrupção. E a presidenta não tomou nenhuma providência, deixou a corrupção continuar no seio da Petrobras". Couto quer que o Congresso faça as investigações com base nessas denúncias. Outro senador, Aloysio Nunes, essa semana disse que Dilma cometeu crime de responsabilidade, e que isso “abre caminho para impeachment”. “No rigor da lei há motivos para processo de impeachment de qualquer forma”. http://sociedademilitar.com.br  

  • Felipão diz: "Quem disse que o Brasil é uma democracia?"  Entrevista censurada de Felipão. O corte feito na entrevista de Luis Felipe Scolari realizada nesse domingo (23/11/2014) é um grande exemplo do patrulhamento que tem sido realizado no país. Num momento de indignação o técnico disse que no Brasil não há liberdade de expressão e que por declarações pessoais qualquer um pode ir preso. Qual o motivo do corte. A sociedade não pode mais ouvir a opinião de pessoas públicas que também discordam do "andar da carruagem"? A notícia está publicada na ESPN, (aqui) mas a parte exposta abaixo foi cortada, assim como em outros sites bem expressivos. FELIPAOSOCIEDADEMILITARdemocracianenhuma por sociedademilitar http://sociedademilitar.com.br VEJA TAMBÉM: Tendências do Movimento ANTI-DILMA / Fora PT.    

  • A direita se LEVANTA e já se impõe. Humoristas ridicularizados  e filósofos ovacionados em praça pública. A sociedade se anima e começa a acreditar em um novo Brasil.  Chega de palhaçada. Chega de idiotização da sociedade. Há muito tempo não se via no país protestos em que pessoas manifestavam realmente sua indignação. Pouca ludicidade, poucas brincadeiras e muita seriedade naquilo que se deseja para o país. Quem vai pra rua em pleno sábado faz isso para demonstrar que está insatisfeito. Há algum tempo publicamos aqui: “Chegou a hora de representar o dia-a-dia com exatidão e seriedade, de dizer o que realmente achamos, sem rodeios, brincadeirinhas e maquiagens para “doer menos”. Se você está indignado, expresse sua indignação com as palavras e gestos certos. Se isso for feito coletivamente, será um gigantesco aditivo para uma mudança real em nosso país.” Fazer as coisas com seriedade não é “ódio”. Mais uma vez não podemos cair na panfletagem esquerdista. Não pode-se atenuar as demandas só para que a esquerda não fique ofendidinha. Na passeata em plena Avenida paulista, um manifestante, ridicularizando o humorista Guga Noblat, do programa CQC, disse algo interessante, meio que profético: “você já perdeu o emprego no CQC também?”. O repórter, sem nenhum poder de argumentação, se limitava a dizer: “ódio, ódio” e ameaçar os manifestantes dizendo que iam ser ridicularizados no programa de segunda-feira. Um rapaz, ao lado de Noblat, que o defendia de forma apaixonada, também dizia várias vezes “que ódio, que ódio”. Guga Noblat, por sua vez, disse que o manifestante, que o filmava, odiava gays. Ele também mencionou algumas vezes sobre o tamanho de órgãos genitais. O CQC logo no lançamento do programa teve grande audiência. Mas, na mesma medida em que nivela suas "reportagens" sempre por baixo e CUSTE o que CUSTAR defende o governo atual, seu ibope cai. A avenida Paulista tem sido lotada de gente que desaprova as ações do atual governo, não concorda com o uso de um sistema de apuração de votos que é impossível de ser auditado por uma pessoa comum, e quer que Lula e Dilma sejam responsabilizados por seus erros e de seus auxiliares. Isso tudo tem gerado enorme incômodo na esquerda, que não sabe muito bem como se comportar diante de uma oposição ativa. Estavam acostumados em ser o único protagonista das ruas. Mas esse tempo acabou. Uma reportagem recentemente publicada no site chapa branca diário do centro do mundo, sobre a manifestação de 15/11, chama a atenção pela sutileza em que “destila seu ódio” contra qualquer um que fuja dos padrões prescritos pela esquerda. Vejam: “A maioria das pessoas vestia camisetas da seleção brasileira ou roupas com cores que lembravam a bandeira nacional. Um rapaz levava a bandeira do estado de São Paulo. Camisas pólo eram abundantes.” Perceberam?   “__ camisas pólo eram abundantes”. Foi uma maneira covarde de tentar dizer que a maioria das pessoas das manifestações não pertencia à parcelas humildes da sociedade. Semeando o ódio, a esquerda continua plantando sementes de imbecilidade em sua militância. Por isso discurso de luta de classes permanece como um dos mais usados. Considerando o inconsideravel, que camisas gola pólo comprovem o poder aquisitivo de alguém, observe a fotografa abaixo, tirada pelo celular do cantor Lobão. Quantas camisas pólo podemos contar? Acho que são poucas. Mas, chega de entrar nessa onda de cretinice esquerdoburra. Podem esperar, daqui a pouco vão contar as camisas pretas e dizer que são skinheads, neonazistas etc. Ódio é cuspir na cara de idosos. Ódio e pichar a frente da casa de militares que lutaram para impedir que o comunismo destruísse nosso país. Ódio é assaltar os cofres públicos, pilhando o dinheiro que daria para construir centenas de hospitais, formar milhares de médicos e comprar inúmeros equipamentos que faltam hoje na saúde pública de nosso país. Ódia é divulgar na internet o ondereço de um cantor instigando pessoas à depredar seu patrimônio e atentar contra sua integridade física. Outra novidade muito significativa, que não poderia deixar de ser mencionada, é o fato de escritores, economistas e filósofos serem citados nas manifestações recentes. Cartazes com nomes como Olavo de Carvalho, Mises e Reinaldo Azevedo foram vistos na paulista. Isso prova que esse povo que está nas ruas sabe muito bem o que está fazendo, e que estão assentados sobre alicerces bem construídos. Não desistirão facilmente ante as dificuldades que aparecerão. É preciso coragem para abdicar do politicamente correto. Artistas, jornalistas e escritores que tem assumido uma postura séria diante do que saque que tem ocorrido no país, embora obviamente não busquem isso, tendem a ser cada vez mais reconhecidos como heróis da resistência e a serem alçados a posições de liderança. Podemos citar aqui Lobão, Gentilli e Olavo de Carvalho. Na mesma medida em que a sociedade se torna mais esclarecida e atuante, a esquerda está num crescente de desespero que os faz ceder a sua tendência autoritária, cerceando o direito de expressão dos manifestantes, taxando qualquer comentário de “ódio” e proibindo as grandes redes de TV de cobrir os eventos. Mas isso acaba por surtir efeito contrário. Um grande exemplo disso são as estratégias agora usadas para transmissão das manifestações. Já que parece que há uma proibição de que os protestos foraPT sejam cobertos pela mídia, a sociedade tem criado seus próprios canais de transmissão e já espera-se que a manifestação do dia 29 seja transmitida por vários voluntários. Veja aqui algumas dicas sobre como transmitir o evento online. Robson A.D. Silva – http://sociedademilitar.com.br    

  • Consciente de que a divulgação dos movimentos é fundamental, o grupo Pesadelo dos Políticos, que vai se manifestar em Copacabana solicita aos moradores e empresários das proximidades que liberem seu wifi para que os manifestantes possam transmitir pelo twitcasting...

  • A que ponto chegamos! Rio vive estado de guerra. Marginais oferecem recompensa pela morte de policiais.    Se não fosse a ação dos militares das Forças Armadas o Rio de Janeiro seria um lugar praticamente sem segurança. O efetivo da policia militar não tem sido suficiente para dar conta da crescente onda de criminalidade, ligada principalmente ao tráfico de drogas. Quem trafega pela avenida Brasil, que corta varias "comunidades", somente se sente relativamente seguro por conta da presença constante dos militares do Exército e Marinha.    Não há salário que retribua o serviço que a policia militar e membros das Forças Armadas têm realizado no Rio. Os militares arriscam sua vida em tempo integral, em serviço e fora de serviço.    A facção criminosa que infesta a Vila Cruzeiro ofereceu uma recompensa de vinte mil reais para quem assassinar um sargento que tem cumprido com precisão o seu dever na Unidade de Polícia Pacificadora local. Somente bandidos que se sentem os "donos do pedaço" tem coragem de fazer esse tipo de coisa. Providências imediatas devem ser tomadas para dar uma resposta rigorosa a essa afronta que, além de ameaçar a vida do militar em questão, é um ultrage contra todas as forças de segurança que agem no pais.     O militar não se intimidou e continua realizando seu serviço. O comando da Polícia Militar reforçou as equipes que trabalham com o sargento, que terá seu nome preservado. http://sociedademilitar.com.br    

Últimos comentários

  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    18.09.2014 23:37
    I used to be able to find good information from your articles.

    Leia mais ...

     
  • PEC 300 - PRESSÃO EM BRASÍLA PELA aprovação, concentração nos dias 23 e 24

    13.12.2013 23:05
    ATÉ QDO HAVERÁ MOROSIDADE PARA CONCEDER NO MÍNIMO UM PATAMAR RAZOÁVEL QUE INCENTIVE O POLICIAL EM SUA JOPRNADA, JÁ QUE COLOCAMOS EM RISCO NOSSAS VIDAS E DE FAMILIARES EM BUSCA DE UMA SOCIEDADE MAIS ...

    Leia mais ...

     
  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    13.12.2012 19:36
    Para quem deu a vida por outros estão sofrendo pelo esquecimento. Não é justo que os pensionistas tem um valor estipulado pelo salário serem esquecido de serem também reajustados. Quem segura nas mãos ...

    Leia mais ...

     
  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    29.08.2012 18:59
    Se for 45% de uma só vez , tudo bem,se for em 3 anos ficaremos na mesma miséria,a inflação é a maldição. :lol:

    Leia mais ...

     
  • Dezoito categorias aceitaram as propostas do governo federal, mas policiais e funcionários do Incra decidiram manter a greve.

    28.08.2012 18:08
    Não aguento mais essa novela, mas creio que essa semana acaba, só quero saber o índice para os militares para nos planejarmos para mais 3 anos de penúria!

    Leia mais ...

 
 
 

Policiais de Belém – Luta pelo reajuste.

 

 

policia belém manifestação salarios
   Lembramos que há três dias alguns policiais militares foram acusados de incitar por meio das redes sociais (Facebook) a mobilização por um reajuste digno para a categoria. Os policiais foram enquadrados no estatuto dos militares.

Policiais civis realizaram uma manifestação ontem em frente à Secretaria Estadual de Administração (Sead), na travessa do Chaco, com a avenida Almirante Barroso, no bairro do Marco, para reivindicar melhores salários e condições de trabalho. A categoria ameaça entrar em greve caso as negociações com o governo não avancem.

Aproximadamente 100 policiais se concentraram em frente à Sead pedindo que uma comissão de servidores fosse recebida pela titular da Secretaria, Alice Viana. Na pauta de discussão, a categoria pede incorporação do abono salarial ao vencimento base, aumento do número de vagas para progressão funcional e gratificação de escolaridade (nível superior) administrativamente. "Queremos a incorporação de R$ 540 ao vencimento, que é de R$ 670", afirmou Rubens Teixeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Pará (Sindpol/PA).

O valor de plantões extras pagos aos policiais também está entre as reivindicações. "Nós recebemos R$180 para um plantão de 24h, é um absurdo", disse. A nomeação de delegados, investigadores e policiais civis do concurso C149, de 2010, é outra exigência. O número de profissionais atuando atualmente estaria muito abaixo do necessário. "Temos em torno de 2.548 policiais em todo o estado. Considerando os que estão de licença ou se aposentando e as férias, temos 1.869 policiais para trabalhar em todo o estado", ressaltou Teixeira.

A recente decisão da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), de que policiais militares começarão a registrar ocorrências criminais, também desagrada a categoria. "A população não quer apenas fazer um B.O (Boletim de Ocorrência), quer ter delegados, escrivães. Colocar policiais militares não é a solução, não vamos admitir isso", informou.

 

DUAS HORAS EM FRENTE A SEAD

A categoria passou mais de duas horas em frente à Sead e a comissão não foi recebida para negociação. Em nota, a Sead informou que "tem buscado honrar com o conjunto dos servidores públicos, especialmente no que se refere ao mês de revisão anual de salários, previsto no Regime Jurídico Único (RJU), que é o mês da data base-abril".

A Secretaria afirmou ainda que "não há nenhum descumprimento de compromisso com os servidores públicos, posto que a data base é abril e o reajuste a ser acordado com os servidores só incidirá na folha ao final do citado mês".

Trânsito engarrafado e nada decidido

Como não foram recebidos pela secretária de Administração, os policiais fecharam os dois sentidos da avenida Almirante Barroso, em sinal de protesto, gerando um engarrafamento quilométrico. Antes disso, os policiais souberam, através de uma nota enviada à imprensa, que uma reunião estava agendada com Alice Viana para o dia 21, às 9h30, na Sead. Os manifestantes pediram, por cerca de uma hora, para que o presidente do sindicato, Rubens Teixeira, entrasse para receber a assinatura que daria ciência ao acordo.

Essa indecisão sobre receber ou não o sindicato foi o que gerou o fechamento das duas vias. "Eu quero saber se eles engoliram a chave", reclamou um dos policiais que aguardavam na chuva a autorização de entrada do presidente. Assinado por volta das 14h, o documento foi mostrado aos manifestantes, que decidiram liberar pacificamente a via e aguardar a discussão das reivindicações no novo encontro marcado. 

Dados de wdnoticias e foto de Diario Online

http://reajuste.info

 

Contribute!
Books!
Shop!
eXTReMe Tracker