Últimas Notícias

Sociedade Militar

Revista sociedade militar. Militares, direitos, política e geopolítica. Direita, esquerda e esclarecimento.
  • ... A nossa proposta é de estabelecer a plena cidadania aos integrantes da família militar, atuando principalmente no setor mais sensível e precioso que são os seus integrantes e familiares... 

  •   Ao longo dos últimos anos o Sargento Genivaldo tem sido um dos militares mais ativos na crescente luta por melhores condições para os militares das Forças Armadas, as reuniões que conseguiu realizar, junto com outros membros da família militar, levaram membos do Ministério da Defesa a audiência pública, onde foram duramente sabatinados e questionados sobre a situaçao salarial dos militares. Veja abaixo algumas de suas posições e planos para o futuro, caso consiga uma cadeira no legislativo do Distrito Federal. 

  • Tribunal bate o MARTELO. Dilma usa o Programa mais Médicos de forma eleitoreira. Ministro suspende propaganda de Dilma. O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que a propaganda de Dilma Rousseff, candidata à reeleição, não deve mais exibir trecho em que ela aparece conversando com profissionais do programa “Mais Médicos”. De acordo com o ministro, aparentemente, houve privilégio na utilização da estrutura do poder público na propaganda, uma vez que a candidata gravou entrevista com os médicos do programa numa Unidade Básica de Saúde (UBS) de Jardim Jacy, em Guarulhos, São Paulo. “Na perspectiva de um razoável equilíbrio no processo democrático, que já pende fortemente em benefício daqueles que dispõem do poder almejado, entendo ser apropriada ao caso a aplicação do poder geral de cautela, de modo a impedir a reexibição do trecho veiculado”, destacou o relator em sua decisão. A representação chegou ao TSE por meio da Coligação Muda Brasil, que apoia o candidato Aécio Neves. No processo, a coligação sustenta que a propaganda de Dilma teria desrespeitado o artigo 73 da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97), que trata das condutas vedadas aos agentes públicos. Além de pedir punição à candidata, a coligação apontou grave conduta do ministro da Saúde, Artur Chioro, que também participou da gravação do programa, do vice-presidente, Michel Temer, e também dos quatro funcionários da UBS, entre eles dois médicos cubanos. Conforme argumento da representação, a equipe de Dilma paralisou os serviços de um posto de saúde para gravar a propaganda e utilizou do conjunto do serviço público e de seus servidores em unidade gerida por governo municipal de sua base, uma vez que o prefeito de Guarulhos pertence ao PT (Partido dos Trabalhadores), e também teria utilizado da imagem do programa que pertence ao Governo Federal. Sustenta que o objetivo da propaganda tinha claro fim eleitoral em detrimento do interesse público, o que contraria a legislação. Na decisão, o ministro Admar Gonzaga ressalta que a representação deve ser direcionada apenas aos agentes públicos, ou seja, Dilma Rousseff, Michel Temer e Artur Chioro. Portanto, os funcionários da unidade de saúde não podem ser questionados por meio desta representação. “A participação no polo passivo deve se limitar aos agentes públicos contra os quais se possa traçar uma responsabilidade objetiva, ou seja, àqueles que, por ação ou omissão, contribuíram para o evento danoso à democracia”, afirmou o relator. O trecho proibido de ir ao ar tem duração de pouco mais de dois minutos e foi exibido no dia 28 de agosto às 13h e às 20h30 em rede nacional de televisão. Do site do TSE -- Em: Sociedade Militar – http://sociedademilitar.com.br  

  • Direto ao assunto. Por que votamos em MARINA? e Por que votamos em AÉCIO? Senhores colaboradores e leitores que nos acompanham ao longo desses poucos anos em que, junto com a sociedade esclarecida desse país, mobilizada em grupos nas redes socias e sites em favor da família, honestidade e verdade, conseguimos montar uma verdadeira rede de oposição. Não ha dúvida de que conseguimos mobilizar a sociedade. A nossa oposição é fundamentada em pilares sólidos, entre eles o principal é a verdade. Temos sido criticados por alguns leitores sempre que expomos posições que divergem das suas. Mas não é por isso que comparecem a esse humilde veículo de comunicação? Por falarmos a verdade e não termos medo de ir contra o politicamente correto?   Aécio e Marina. Por enquanto as pesquisas mostram que Dilma Roussef estará fora do Planalto, estamos numa situação melhor nessa guerra, mas há ainda possibilidade do PT virar o jogo. Por isso é importante que estejamos atentos ao que vem abaixo. Todos nós, desse grande grupo que  deseja um futuro melhor para o Brasil e cada vez mais cresce, tínhamos como objetivo inicial retirar o PT do governo. Acabando com o continuísmo, criamos que poderíamos quebrar o progressivo “aparelhamento” do estado, para que não chegasse a um ponto em que não houvesse mais possibilidade de retorno. Mas, com a morte de Roberto Campos surgiram novas variáveis em nosso norte, alguns se focaram em objetivos secundários, criando riscos consderáveis. Pedimos aos leitores que estejam atentos ao que será dito, é a opinião da Revista Sociedade Militar.  Uma parcela considerável da sociedade de direita, conservadores, centro-direita e os que apenas se denominam “não-esquerda” tem se focado em eleger Aécio Neves. Têm esse direito, e compreendemos sua motivação e até a empolgação ante a possibilidade de ver Dilma fora do cenário político, aliado a presença de um presidente jovem, racional e oriundo de um partido que carrega o status de ter implantado o exitoso Plano Real.  Outra parcela considerável dessa sociedade de direita, conservadores, centro-direita e os que se denominam “não-esquerda”, apóia Marina Silva para ocupar o cargo que agora é de Dilma Roussef. Eles vêem em Marina a materialização da meritocracia, já que ela veio de baixo até que alcançou, por méritos próprios, um lugar de destaque. Eles também enxergam coragemem Marina Silva, coragem por ter abandonado o Partido dos Trabalhadores para defender ideais próprios. Ela hoje tenta equalizar uma proposta de políticas sociais progressistas com a única possibilidade de manter um país funcionando, indo na contra-mão de fundamentos socialistas, que é manter uma política econômica ortodoxa e com pouco intervencionismo do estado. A proposta de Marina de dar independência relativa ao Banco Central marcou essa sua posição, e não há mais possibilidade de que agora volte atrás, muito menos no governo, se for eleita. Ocorre que, com a iminente possibilidade de Dilma ser derrotada, muito de nós, que compomos essa ampla e poderosa frente anti-PT, passamos a lutar por objetivos distintos daqueles estipulados no início, com isso corremos o risco de colocar tudo a perder. Por isso, para ilustrar a questão usamos acima uma imagem do grupo "somos de direita e aí?", com Tuma aconselhando a manter o foco em derrotar o PT. É preciso parar de fazer comentários do tipo "Marina é o plano B do PT" e voltar a atacar Dilma e Lula. Não é preciso muita pesquisa para achar incoerencias e inconsistências no discurso de Dilma, veja exemplos abaixo. Compartilhe isso:   Com nossas denúncias, propostas, manifestos, abaixo-assinados e cartazes, postados insistentemente nas redes sociais e listas de e-mails, conseguimos realmente mostrar a grande número de pessoas que o PT deveria ser rejeitado. Alguns escolheram Marina e outros Aécio, alguns poucos foram para os candidatos chamados de pequeninos. Não podemos, a essa altura da guerra que travamos, apontar nossas armas para Marina, ou para Aécio, fazendo isso corremos o risco de fazer com que os eleitores que conquistamos retornem seu voto para Dilma Roussef. Devemos fazer o possível para manter esses eleitores onde estão, se conseguirmos pelo menos isso poderemos comemorar uma vitória, pois teremos alcançado nosso objetivo inicial que era retirar o PT do governo. Já ouviram falar de guerra relâmpago? É uma tática usada pelos alemães na segunda guerra mundial, eles focavam todas as suas armas no sentido de "perfurar" as linhas inimigas e criar um ponto de ruptura. Todo "atrito" secundário com as forças inimigas era evitado. Se havia uma interrupção lateral, era cercada e evitada sem o uso de muitas tropas, nesse caso atacava-se principalmente a comunicação e deixava-se para destruir o foco mais tarde. O exército como um todo permanecia concentrado no objetivo principal até que conseguisse entrar no campo inimigo com os blindados, se seguia a infantaria e a batalha era vencida. A equipe do PT agora vai tentar jogar eleitores de Aécio contra os de Marina e vice-versa, atacando-nos pelos flancos, tentando fazer com que parte das tropas se desvirtue do objetivo principal.   Temos que manter nossa guerra relâmpago. Evitemos questões secundárias. Vamos acabar com o continuísmo petista. Depois cuidamos das outras coisas. É por isso que não perdemos tempo, aqui na Revista Sociedade Militar, em atacar Marina ou Aécio, permanecemos perseguindo nosso objetivo principal, que é mostrar Àqueles que ainda não decidiram, que o PT é a pior opção para o BRASIL. Robson A. D. Silva – http://sociedademilitar.com.br Revista Sociedade Militar Como adendo ao texto citamos declarações de pessoas que consideramos sensatas. Capitão Pimentel: DECLARAÇÃO DE VOTO - Para a Presidência da República votarei na decência. Em quem ama o Brasil! Meu voto será para a Marina Silva. Fora com essa quadrilha que há doze anos vem sucateando o país.  Se a Marina não ganhar, ninguém vence a Dilma. Os miseráveis que recebem bolsas no lugar de emprego votarão na ladra e ex-terrorista Dilma. Os milhares de comuno-petistas que aparelharam o Estado e os derrotados na luta armada que se fazem de vítimas, e recebem pensões e indenizações milionárias, não vão permitir que sejam desalojados do poder. Ai só restará uma saída para o país: repetir a Contrarrevolução de 64.  O Brasil precisa ser passado a limpo! - José Geraldo Pimentel.        

  • Revista FORBES cita Dilma e cinco motivos para não REELEGER a candidata do PT. Empresários, analistas financeiros, instituições bancárias, profissionais liberais, militares e mais uma gama enorme de pessoas tem cada vez mais se convencido de que mais quatro anos de PT jogarão o país no caos completo. Segundo a FORBES, nos últimos 20 anos, o Brasil passou por uma enorme transformação social e econômica, que culminou com o país ter tirado dezenas de milhões de pessoas da pobreza extrema, alcançando o sétimo lugar entre as maiores economias do mundo. Contudo, as principais transformações começaram ainda  antes do PT assumir o país, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que foi eleito em 1994, e leva o crédito de ter derrotado a hiperinflação no Brasil. O colunista da famosa revista norte-americana dá cinco motivos relevantes para que a população não mantenha Dilma no Planalto. Veja abaixo. 1 – O Brasil não cresceu como poderia e deveria durante o governo Dilma Segundo o colunista, o último momento bom para o Brasil foi em 2010, quando a economia cresceiu 7.5%, com o Brasil sendo um dos maiores exportadores de produtos manufaturados e agrícolas, além de minério de ferro. Daí pra frente foi só o caos.  “É a primeira vez em cinco anos que a economia retraiu”, escreveu o colunista. “Até o fim de seu mandato neste ano, o crescimento esperado do Brasil debaixo do comando de Rousseff é de dois pontos percentuais a menos do que o crescimento médio da América Latina entre 2010 e 2014. É a primeira vez em 20 anos que o Brasil é deixado para trás comendo a poeira de seus vizinhos.” 2 – Maior empresa do País, a Petrobras está sendo seriamente danificada Em 1997, a Petrobras ganhou uma nova força quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acabou com o monopólio estatal e abriu o capital da empresa para investimento privado, diz Antunes. Dez anos depois, a petroleiro descobriu o pré-sal, o que seria uma prova de que “Deus é realmente brasileiro”, citando uma afirmação do ex-presidente Lula. Sob o governo petista, a estatal tem enfrentado diversos escândalos. Além das investigações, o valor de mercado da companhia caiu de US$ 190 bilhões para US$ 119 bilhões em quatro anos. O colunista também critica o fato de a Petrobras ser utilizada para controlar a inflação, segurando reajustes nos preços de combustíveis e agregados 3 - Abordagem de Dilma para manter a inflação alta a fim de manter empregos é questionável - Um consenso dos analistas é que inflação e desemprego baixo funcionam quando há crescimento econômico, diz o colunista. No Brasil, a inflação tem piorado pelo fato de que nos últimos anos os salários têm aumentado em um ritmo constante, enquanto o lucro das empresas tem decrescido muito. “Para Dilma Rousseff, a solução seria elevar os juros, apertar a política fiscal e permitir que os preços se ajustem, acelerando a inflação antes que a situação se normalize. Isso não é uma tarefa fácil, já que o consumo representa a maior parte da economia do País - 63%.” Antunes acredita, no entanto, que Dilma não tomará essas medidas, já que seria atípico para um “governo populista”. 4 - Dívida Pública do Brasil continua crescendo. Antunes diz que, apesar de a dívida pública do País ser relativamente baixa – cerca de 35% do PIB -, esse percentual tem crescido. “O orçamento federal está constantemente em déficit, e Dilma Rousseff se comprometeu a cumprir uma meta de superávit primário de 1,9% do PIB neste ano e 2% no próximo ano”, se reeleita. Antunes ressalta que, nos primeiros seis meses do ano, o superávit primário atingiu o menor valor da história, R$ 29,4 bilhões, 5 – Dilma não promoveu as reformas necessárias para tornar a vida das pessoas, especialmente dos pobres, melhor. O PT se autoproclama como o partido que tem a missão de defender os pobres e os socialmente excluídos. As reformas necessárias para isso, no entanto, não têm acontecido no governo Dilma, afirma o colunista. Ele diz que o Brasil, além de não estar mais crescendo como deveria, reduziu sua distribuição de renda. http://sociedademilitar.com.br com informações de http://www.forbes.com/sites/andersonantunes/2014/09/11/5-reasons-why-brazils-president-dilma-rousseff-should-not-be-reelected/    leia tAMBÉM - Dinheiro repassado pelo governo incentiva apoio ao Hamas. Veja alguns dos repasses do GOVERNO. Você vai ficar mais indignado do que já está.

Últimos comentários

  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    29.08.2012 18:59
    Se for 45% de uma só vez , tudo bem,se for em 3 anos ficaremos na mesma miséria,a inflação é a maldição. :lol:

    Leia mais ...

     
  • Dezoito categorias aceitaram as propostas do governo federal, mas policiais e funcionários do Incra decidiram manter a greve.

    28.08.2012 18:08
    Não aguento mais essa novela, mas creio que essa semana acaba, só quero saber o índice para os militares para nos planejarmos para mais 3 anos de penúria!

    Leia mais ...

     
  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    27.08.2012 20:32
    Espero que dessa vez saia, tantos alarmes falsos...

    Leia mais ...

 
 
 

Policiais de Belém – Luta pelo reajuste.

 

 

policia belém manifestação salarios
   Lembramos que há três dias alguns policiais militares foram acusados de incitar por meio das redes sociais (Facebook) a mobilização por um reajuste digno para a categoria. Os policiais foram enquadrados no estatuto dos militares.

Policiais civis realizaram uma manifestação ontem em frente à Secretaria Estadual de Administração (Sead), na travessa do Chaco, com a avenida Almirante Barroso, no bairro do Marco, para reivindicar melhores salários e condições de trabalho. A categoria ameaça entrar em greve caso as negociações com o governo não avancem.

Aproximadamente 100 policiais se concentraram em frente à Sead pedindo que uma comissão de servidores fosse recebida pela titular da Secretaria, Alice Viana. Na pauta de discussão, a categoria pede incorporação do abono salarial ao vencimento base, aumento do número de vagas para progressão funcional e gratificação de escolaridade (nível superior) administrativamente. "Queremos a incorporação de R$ 540 ao vencimento, que é de R$ 670", afirmou Rubens Teixeira, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Pará (Sindpol/PA).

O valor de plantões extras pagos aos policiais também está entre as reivindicações. "Nós recebemos R$180 para um plantão de 24h, é um absurdo", disse. A nomeação de delegados, investigadores e policiais civis do concurso C149, de 2010, é outra exigência. O número de profissionais atuando atualmente estaria muito abaixo do necessário. "Temos em torno de 2.548 policiais em todo o estado. Considerando os que estão de licença ou se aposentando e as férias, temos 1.869 policiais para trabalhar em todo o estado", ressaltou Teixeira.

A recente decisão da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), de que policiais militares começarão a registrar ocorrências criminais, também desagrada a categoria. "A população não quer apenas fazer um B.O (Boletim de Ocorrência), quer ter delegados, escrivães. Colocar policiais militares não é a solução, não vamos admitir isso", informou.

 

DUAS HORAS EM FRENTE A SEAD

A categoria passou mais de duas horas em frente à Sead e a comissão não foi recebida para negociação. Em nota, a Sead informou que "tem buscado honrar com o conjunto dos servidores públicos, especialmente no que se refere ao mês de revisão anual de salários, previsto no Regime Jurídico Único (RJU), que é o mês da data base-abril".

A Secretaria afirmou ainda que "não há nenhum descumprimento de compromisso com os servidores públicos, posto que a data base é abril e o reajuste a ser acordado com os servidores só incidirá na folha ao final do citado mês".

Trânsito engarrafado e nada decidido

Como não foram recebidos pela secretária de Administração, os policiais fecharam os dois sentidos da avenida Almirante Barroso, em sinal de protesto, gerando um engarrafamento quilométrico. Antes disso, os policiais souberam, através de uma nota enviada à imprensa, que uma reunião estava agendada com Alice Viana para o dia 21, às 9h30, na Sead. Os manifestantes pediram, por cerca de uma hora, para que o presidente do sindicato, Rubens Teixeira, entrasse para receber a assinatura que daria ciência ao acordo.

Essa indecisão sobre receber ou não o sindicato foi o que gerou o fechamento das duas vias. "Eu quero saber se eles engoliram a chave", reclamou um dos policiais que aguardavam na chuva a autorização de entrada do presidente. Assinado por volta das 14h, o documento foi mostrado aos manifestantes, que decidiram liberar pacificamente a via e aguardar a discussão das reivindicações no novo encontro marcado. 

Dados de wdnoticias e foto de Diario Online

http://reajuste.info

 

Contribute!
Books!
Shop!
eXTReMe Tracker