Judiciário - Reajuste - Greve

JUDICIÁRIO EM LUTA POR MELHORES CONDIÇÕES.  Nesta segunda-feira, se intensificam as ações para fortalecimento da greve do Judiciário e do Ministério Público. Agora é cada vez mais importante a participação de todos, e por isso os arrastões e piquetes continuaram nos locais de trabalho, especialmente para preparação do ato que acontece amanhã, terça-feira (28/9), em frente ao STF, às 15h.   “Os servidores do TJ sede e do Leal Fagundes passaram a segunda-feira empenhados para o crescimento do número de adesões à greve, e ainda na preparação do ato de amanhã. O foco agora é Ayres Britto”, enfatiza Sheila Fonseca, coordenadora de Comunicação, Cultura, Esporte e Lazer do Sindjus.

Sheila informa que o setor de informática do TJ aderiu à greve, travando o sistema nos cartórios. “É hora de somar e somar”, frisou a dirigente sindical. Em outros tribunais e cartórios, também houve piquetes preparando mais um buzinaço para lembrar Ayres Britto que ele deve atravessar a rua, para conversar com a presidenta Dilma.

   Hamilton de Almeida Modesto, do comando de greve no TJ, disse que ele e colegas passaram de sala em sala no TJ para que os servidores que ainda estão acomodados se conscientizem que não podem ficar alheios ao movimento.

“O sonho de ser servidor do Judiciário cada vez mais se torna um pesadelo, e não vai acontecer um milagre. Todos têm que aderir à greve, para o bem do futuro de nossa carreira, pois nossa renda está ficando mais pobre, corroída pela inflação. Não há condições de mais ninguém ficar alienado”, ressalta Hamilton Modesto.

O servidor do comando de greve ainda enfatizou que o ato amanhã precisa ser maior do que os já realizados até agora. “Mas, não basta participar do ato. A caminhada serve para mostrar a nossa mobilização, mas precisamos paralisar o Judiciário e o Ministério Público.” Hamilton Modesto disse que a categoria tem que reagir a tamanho desrespeito. Do sindicato  dos servidores do jud. http://www.sindjusdf.org.br.

eXTReMe Tracker