Últimas Notícias

Sociedade Militar

Revista sociedade militar. Militares, direitos, política e geopolítica. Direita, esquerda e esclarecimento.
  • O jornal online 247, financiado por patrocinadores estatais inventou assinaturas em um suposto manifesto em apoio à re-eleição de DILMA. Hoje os artistas começaram a negar que assinaram tal documento. Veja abaixo a mensagem no facebook de Matheus Nachtergaele, que protagonizou vários filmes, entre eles Tropa de Elite, Cidade de Deus e auto da compadecida.

  • Congresso promove enquete para definir CONCEITO DE FAMÍLIA. LGBTS querem acabar com definição que inclui pai e mãe. Família tradicional permanece ganhando disparado, veja aqui e participe.Congresso promove enquete para definir CONCEITO DE FAMÍLIA. LGBTS ...

  • ... A nossa proposta é de estabelecer a plena cidadania aos integrantes da família militar, atuando principalmente no setor mais sensível e precioso que são os seus integrantes e familiares... 

  •   Ao longo dos últimos anos o Sargento Genivaldo tem sido um dos militares mais ativos na crescente luta por melhores condições para os militares das Forças Armadas, as reuniões que conseguiu realizar, junto com outros membros da família militar, levaram membos do Ministério da Defesa a audiência pública, onde foram duramente sabatinados e questionados sobre a situaçao salarial dos militares. Veja abaixo algumas de suas posições e planos para o futuro, caso consiga uma cadeira no legislativo do Distrito Federal. 

  • Tribunal bate o MARTELO. Dilma usa o Programa mais Médicos de forma eleitoreira. Ministro suspende propaganda de Dilma. O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que a propaganda de Dilma Rousseff, candidata à reeleição, não deve mais exibir trecho em que ela aparece conversando com profissionais do programa “Mais Médicos”. De acordo com o ministro, aparentemente, houve privilégio na utilização da estrutura do poder público na propaganda, uma vez que a candidata gravou entrevista com os médicos do programa numa Unidade Básica de Saúde (UBS) de Jardim Jacy, em Guarulhos, São Paulo. “Na perspectiva de um razoável equilíbrio no processo democrático, que já pende fortemente em benefício daqueles que dispõem do poder almejado, entendo ser apropriada ao caso a aplicação do poder geral de cautela, de modo a impedir a reexibição do trecho veiculado”, destacou o relator em sua decisão. A representação chegou ao TSE por meio da Coligação Muda Brasil, que apoia o candidato Aécio Neves. No processo, a coligação sustenta que a propaganda de Dilma teria desrespeitado o artigo 73 da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97), que trata das condutas vedadas aos agentes públicos. Além de pedir punição à candidata, a coligação apontou grave conduta do ministro da Saúde, Artur Chioro, que também participou da gravação do programa, do vice-presidente, Michel Temer, e também dos quatro funcionários da UBS, entre eles dois médicos cubanos. Conforme argumento da representação, a equipe de Dilma paralisou os serviços de um posto de saúde para gravar a propaganda e utilizou do conjunto do serviço público e de seus servidores em unidade gerida por governo municipal de sua base, uma vez que o prefeito de Guarulhos pertence ao PT (Partido dos Trabalhadores), e também teria utilizado da imagem do programa que pertence ao Governo Federal. Sustenta que o objetivo da propaganda tinha claro fim eleitoral em detrimento do interesse público, o que contraria a legislação. Na decisão, o ministro Admar Gonzaga ressalta que a representação deve ser direcionada apenas aos agentes públicos, ou seja, Dilma Rousseff, Michel Temer e Artur Chioro. Portanto, os funcionários da unidade de saúde não podem ser questionados por meio desta representação. “A participação no polo passivo deve se limitar aos agentes públicos contra os quais se possa traçar uma responsabilidade objetiva, ou seja, àqueles que, por ação ou omissão, contribuíram para o evento danoso à democracia”, afirmou o relator. O trecho proibido de ir ao ar tem duração de pouco mais de dois minutos e foi exibido no dia 28 de agosto às 13h e às 20h30 em rede nacional de televisão. Do site do TSE -- Em: Sociedade Militar – http://sociedademilitar.com.br  

Últimos comentários

  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    29.08.2012 18:59
    Se for 45% de uma só vez , tudo bem,se for em 3 anos ficaremos na mesma miséria,a inflação é a maldição. :lol:

    Leia mais ...

     
  • Dezoito categorias aceitaram as propostas do governo federal, mas policiais e funcionários do Incra decidiram manter a greve.

    28.08.2012 18:08
    Não aguento mais essa novela, mas creio que essa semana acaba, só quero saber o índice para os militares para nos planejarmos para mais 3 anos de penúria!

    Leia mais ...

     
  • Militares aguardam anúncio de reajuste.

    27.08.2012 20:32
    Espero que dessa vez saia, tantos alarmes falsos...

    Leia mais ...


Teto do seguro desemprego será de R$ 1.35,91 a partir de Janeiro de 2013
JANEIRO/2013
O valor máximo da parcela do benefício alcança R$ 1.235,91 neste ano, informou o Ministério do Trabalho. Esse valor foi corrigido em 6,2%. Em 2012, o valor máximo pago era de R$ 1.163,76. Caso o governo tivesse mantido a formato de correção que foi adotado em 2012, ou seja, o valor do salário mínimo, a parcela máxima paga seria de R$ 1.268,49 neste ano.O percentual de reajuste está em resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador publicada pelo Diário Oficial da União.

Cálculo do seguro-desemprego em 2013
De acordo com a tabela divulgada pelo Ministério do Trabalho, o cálculo da parcela a ser paga a título de seguro-desemprego, neste ano, obedecerá o seguinte critério: para um salário médio de até R$ 1.090,43, o valor será multiplicado por 0,8 (ou seja, será de 80%). 

Já no caso de um salário médio de R$ 1.090,44 até R$ 1.817,56, o valor será multiplicado por 0,5 (50%) somado a R$ 872,34. No caso de salários médios acima de R$ 1.187,56, o valor do seguro-desemprego será de, invariavelmente, R$ 1.235,91.

Valor do salário médio
A apuração do valor do benefício tem como base o salário mensal do último vínculo empregatício, na seguinte ordem: tendo o trabalhador recebido três ou mais salários mensais a contar desse último vínculo empregatício, a apuração considerará a média dos salários dos últimos três meses.

Caso o trabalhador, em vez dos três últimos salários daquele vínculo empregatício, tenha recebido apenas dois salários mensais, a apuração considerará a média dos salários dos dois últimos meses; ou caso o trabalhador, em vez dos três ou dois últimos salários daquele mesmo vínculo empregatício, tenha recebido apenas o último salário mensal, este será considerado, para fins de apuração. Caso o trabalhador não tenha trabalhado integralmente em qualquer um dos últimos três meses, o salário será calculado com base no mês de trabalho completo.

Dados do G1 e Ministério do trabalho.

http://reajuste.info

 
 
Contribute!
Books!
Shop!
eXTReMe Tracker